ídolos Cultuados

Samba nostalgia

de Bebop Digital

Samba nostalgia

Lista de reprodução

Sobre esta playlist

Cartola, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Alcione, Adoniran Barbosa e Bezerra da Silva, são alguns dos bambas que estão em nossa playlist de hoje que vai reviver os sambas de antigamente. Vai ser difícil você resistir e não sair cantando “Volta por Cima”, “Meu Sapato Já Furou”, “Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida”, “Não Deixe o Samba Morrer”, entre outros clássicos do samba.

Após sua época de ouro, entre as décadas de 1930 a 1950, o samba passou a dividir espaço com outros gêneros como baião e bossa nova. Durante a década de 1960, o samba manteve-se ativo e produtivo, projetando nomes da categoria de Jair Rodrigues, Paulinho da Viola, Martinho da Vila e Beth Carvalho. Na década seguinte, o gênero ganhou novo impulso comercial com o êxito radiofônico de Agepê, Benito de Paula, Clara Nunes e Alcione.

Curiosamente, Cartola, considerado por muitos como nosso maior sambista, construiu uma carreira solo somente nos anos 1970. Envolvido com música desde a década de 1920 e compondo para outros intérpretes, Cartola dedicou-se a outros trabalhos até finalmente gravar o primeiro álbum solo, em 1974, aos 65 anos de idade. Trajetória similar também tiveram outros veteranos como Nelson Cavaquinho, Elton de Medeiros, Nelson Sargento e Guilherme de Brito.

Na virada dos anos 1970 para os 1980, despontou uma nova geração associada ao estilo de rodas de samba do partido-alto. Precursores como Almir Guineto e o grupo Fundo de Quintal inovaram na maneira de falar do cotidiano, além de introduzir instrumentos como o banjo e repique-de-mão, originando o subgênero que ficaria conhecido como pagode, do qual Zeca Pagodinho seria um dos principais expoentes.

Hora de relembrar estes incríveis artistas e suas músicas inesquecíveis. É só apertar o play!

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.