Só Nosso!

Lançamento exclusivo: ao vivo do Vespas Mandarinas

de Natalia Julio

Lançamento exclusivo: ao vivo do Vespas Mandarinas

Sobre este álbum

Lançado em 2013, o álbum de estreia do grupo Vespas Mandarinas, “Animal Nacional”, foi indicado ao Grammy Latino e emplacou hits nas rádios, como “Não Sei o Que Fazer Comigo (Ya No Se Que Hacer Conmigo)”. Em pouco tempo, a banda criava um nome no cenário do rock brasileiro atual.

Nesta gravação ao vivo (que você escuta antes com exclusividade aqui!), estão as 12 faixas do disco da banda formada por Chuck Hipolitho, Thadeu Meneghini, André Dea e Flávio Guarnieri. Além disso, você pode conferir as parcerias com Vivendo do Ócio e Edgard Scandurra. “O ingrediente principal e agregador do show não viria da banda, mas sim do público, que cantava todas as nossas músicas”, disse Thadeu Meneghini, relembrando o show.

A faixa “Herói Devolvido” foi a escolhida para tocar ao lado da banda. Já com Scandurra eles interpretam alguns sucessos do Ira!, como “Gritos na Multidão”, “Dias de Luta” e “Núcleo Base”.

Thadeu reforça o empenho da banda em se dedicar bastante às letras das músicas. “Vale a pena investir no que é bom. A indústria fonográfica infelizmente perdeu esses critérios. Nós estamos resgatando isso aos poucos”, avaliou.

Confira abaixo a entrevista com Thadeu Meneghini:

Qual a memória mais forte que vocês têm do show do disco, gravado em 2013?

Havia naquela época a sensação de que estávamos no começo de uma mudança na forma de fazer o show. Mas o ingrediente principal e agregador não viria da banda, mas sim do público, que cantava todas as nossas músicas, indistintamente. Não era só a música que estava tocando no rádio, ou a que tinha um clipe novo. Sentimos que valia a pena investir em algo que acreditamos: boas letras e canções.

Desde então, a popularidade da banda só aumentou. Como vocês avaliam este crescimento?

Vale a pena investir no que é bom, que muitas vezes não precisa ser algo que você acredita ou que a gravadora acredita. Existe sim um padrão de qualidade. A indústria fonográfica infelizmente perdeu esses critérios. Nós estamos resgatando isso aos poucos.

Vocês cantam ‘Herói Devolvido’ ao lado de Vivendo do ócio. Podem comentar esta parceria?

O Vivendo do Ócio é uma amizade que não se explica. Algo que veio de graça. Algo que a vida te dá de presente simplesmente pelo fato de você ser quem você é, e pelas escolhas que faz. É um encontro cármico celebrado nas canções.

Com eles tenho outras parcerias como a música "Radioatividade" e "Carranca", músicas que farão muito sucesso na boca do povo brasileiro e engrossam o nosso cancioneiro pop rock com algo que estava escasso e os artistas e a indústria fonográfica tinham abandonado.

E a participação de Edgard Scandurra, como foi?

A participação do Edgard Scandurra foi mágica. Sou fã do Edgard desde os 11 anos de idade. Posso dizer que a minha relação forte com a música veio mesmo por causa dele. Quando eu tinha 14 anos meu pai me levou no show de lançamento do "Amigos Invisíveis", desde então eu me tornei esse amigo invisível do Edgard, acompanhando a carreira dele e recebendo a sua influência e a sua energia positiva. Eu vivia nos shows do Ira! no Centro Cultural São Paulo, local onde gravamos o DVD. Estar ali 20 anos depois tocando as músicas da banda com o meu maior ídolo é algo que estou processando até hoje: um presente da vida pra quem realmente vai atrás do sonho.

Quais os planos para depois de Animal Nacional Ao Vivo?

Estamos com um novo álbum com todas as composições prontas para serem gravadas. Algumas delas já são conhecidas do nosso público, pois já estão sendo executadas nos shows: "Cada um Sabe de Si", "Daqui Pro Futuro", "Só se vive uma vez", " Que esse dia seja meu" e "Carranca".

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.