356x237

Artista

Zé Ramalho

Sobre Zé Ramalho

Ritmos nordestinos, versos de cordel, rock’n’roll e o canto falado à la Bob Dylan estão entre os ingredientes da música do paraibano Zé Ramalho. Em 1974, já morando no Rio de Janeiro, ele lançou Paêbiru. O cultuado álbum, que mistura sertão e Pink Floyd, foi gravado com Lula Côrtes, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. O seu début solo, Zé Ramalho, saiu em 1978, trazendo os primeiros sucessos, “Avôhai” e “Vila do Sossego”. Seguiu-se o seu período mais frutífero, em que compôs êxitos como “Admirável Gado Novo”, “A Terceira Lâmina” e “Mistérios da Meia-Noite”, além de canções bem-sucedidas na voz de outros intérpretes, a exemplo de “Frevo Mulher” – esta cantada por Amelinha, com quem era casado à época. Após um período de baixa, Zé Ramalho retomou o sucesso, tendo músicas suas incluídas em trilhas de novela, como "Admirável Gado Novo" (O Rei do Gado, de 1996). Também em 1996, Zé Ramalho gravou o ao vivo O Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo. A partir dos anos 2000, o cantor se dedicou à produção da série Zé Ramalho Canta... com registros em que homenageia artistas que o influenciaram, como Bob Dylan, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Raul Seixas. Em 2016, ele divulgou a caixa com três álbuns e um DVD Voz e Violão - 40 Anos de Música, com os quais repassou sua carreira.

356x237

Zé Ramalho

Ritmos nordestinos, versos de cordel, rock’n’roll e o canto falado à la Bob Dylan estão entre os ingredientes da música do paraibano Zé Ramalho. Em 1974, já morando no Rio de Janeiro, ele lançou Paêbiru. O cultuado álbum, que mistura sertão e Pink Floyd, foi gravado com Lula Côrtes, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. O seu début solo, Zé Ramalho, saiu em 1978, trazendo os primeiros sucessos, “Avôhai” e “Vila do Sossego”. Seguiu-se o seu período mais frutífero, em que compôs êxitos como “Admirável Gado Novo”, “A Terceira Lâmina” e “Mistérios da Meia-Noite”, além de canções bem-sucedidas na voz de outros intérpretes, a exemplo de “Frevo Mulher” – esta cantada por Amelinha, com quem era casado à época. Após um período de baixa, Zé Ramalho retomou o sucesso, tendo músicas suas incluídas em trilhas de novela, como "Admirável Gado Novo" (O Rei do Gado, de 1996). Também em 1996, Zé Ramalho gravou o ao vivo O Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo. A partir dos anos 2000, o cantor se dedicou à produção da série Zé Ramalho Canta... com registros em que homenageia artistas que o influenciaram, como Bob Dylan, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Raul Seixas. Em 2016, ele divulgou a caixa com três álbuns e um DVD Voz e Violão - 40 Anos de Música, com os quais repassou sua carreira.

Sobre Zé Ramalho

Ritmos nordestinos, versos de cordel, rock’n’roll e o canto falado à la Bob Dylan estão entre os ingredientes da música do paraibano Zé Ramalho. Em 1974, já morando no Rio de Janeiro, ele lançou Paêbiru. O cultuado álbum, que mistura sertão e Pink Floyd, foi gravado com Lula Côrtes, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. O seu début solo, Zé Ramalho, saiu em 1978, trazendo os primeiros sucessos, “Avôhai” e “Vila do Sossego”. Seguiu-se o seu período mais frutífero, em que compôs êxitos como “Admirável Gado Novo”, “A Terceira Lâmina” e “Mistérios da Meia-Noite”, além de canções bem-sucedidas na voz de outros intérpretes, a exemplo de “Frevo Mulher” – esta cantada por Amelinha, com quem era casado à época. Após um período de baixa, Zé Ramalho retomou o sucesso, tendo músicas suas incluídas em trilhas de novela, como "Admirável Gado Novo" (O Rei do Gado, de 1996). Também em 1996, Zé Ramalho gravou o ao vivo O Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo. A partir dos anos 2000, o cantor se dedicou à produção da série Zé Ramalho Canta... com registros em que homenageia artistas que o influenciaram, como Bob Dylan, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Raul Seixas. Em 2016, ele divulgou a caixa com três álbuns e um DVD Voz e Violão - 40 Anos de Música, com os quais repassou sua carreira.

Sobre Zé Ramalho

Ritmos nordestinos, versos de cordel, rock’n’roll e o canto falado à la Bob Dylan estão entre os ingredientes da música do paraibano Zé Ramalho. Em 1974, já morando no Rio de Janeiro, ele lançou Paêbiru. O cultuado álbum, que mistura sertão e Pink Floyd, foi gravado com Lula Côrtes, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. O seu début solo, Zé Ramalho, saiu em 1978, trazendo os primeiros sucessos, “Avôhai” e “Vila do Sossego”. Seguiu-se o seu período mais frutífero, em que compôs êxitos como “Admirável Gado Novo”, “A Terceira Lâmina” e “Mistérios da Meia-Noite”, além de canções bem-sucedidas na voz de outros intérpretes, a exemplo de “Frevo Mulher” – esta cantada por Amelinha, com quem era casado à época. Após um período de baixa, Zé Ramalho retomou o sucesso, tendo músicas suas incluídas em trilhas de novela, como "Admirável Gado Novo" (O Rei do Gado, de 1996). Também em 1996, Zé Ramalho gravou o ao vivo O Grande Encontro, com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo. A partir dos anos 2000, o cantor se dedicou à produção da série Zé Ramalho Canta... com registros em que homenageia artistas que o influenciaram, como Bob Dylan, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Raul Seixas. Em 2016, ele divulgou a caixa com três álbuns e um DVD Voz e Violão - 40 Anos de Música, com os quais repassou sua carreira.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.