356x237

Artista

Vitor Ramil

Sobre Vitor Ramil

Irmão de Kleiton & Kledir, o gaúcho Vitor Ramil iniciou sua carreira em 1981, quando lançou Estrela, Estrela. O trabalho conta com participação de Zizi Possi e Tetê Espíndola, além de arranjos assinados por nomes como Wagner Tiso e Egberto Gismonti. A década de 1980 rendeu ainda A Paixão de V Segundo Ele Próprio (1984), álbum experimental, com influência regionalista e participação de Mercedes Sosa em “Semeadura”. Misturando humor, poesia e teatro, Ramil lançou, nos anos 1990, À Beça e Ramilonga – A Estética do Frio. Nos trabalhos seguintes, alguns ao lado do produtor argentino Pedro Aznar, o músico agregou ainda mais a influência latina à sua obra, o que pode ser notado em Tambong e Longes. Nos mais de 30 anos de carreira, Ramil já lançou dez álbuns de estúdio – em 2013 saiu Foi no Mês Que Vem. O artista tem no currículo quatro livros, e trabalhos com nomes como Lenine, Jorge Drexler, Chico César e Gal Costa.

356x237

Vitor Ramil

Irmão de Kleiton & Kledir, o gaúcho Vitor Ramil iniciou sua carreira em 1981, quando lançou Estrela, Estrela. O trabalho conta com participação de Zizi Possi e Tetê Espíndola, além de arranjos assinados por nomes como Wagner Tiso e Egberto Gismonti. A década de 1980 rendeu ainda A Paixão de V Segundo Ele Próprio (1984), álbum experimental, com influência regionalista e participação de Mercedes Sosa em “Semeadura”. Misturando humor, poesia e teatro, Ramil lançou, nos anos 1990, À Beça e Ramilonga – A Estética do Frio. Nos trabalhos seguintes, alguns ao lado do produtor argentino Pedro Aznar, o músico agregou ainda mais a influência latina à sua obra, o que pode ser notado em Tambong e Longes. Nos mais de 30 anos de carreira, Ramil já lançou dez álbuns de estúdio – em 2013 saiu Foi no Mês Que Vem. O artista tem no currículo quatro livros, e trabalhos com nomes como Lenine, Jorge Drexler, Chico César e Gal Costa.

Sobre Vitor Ramil

Irmão de Kleiton & Kledir, o gaúcho Vitor Ramil iniciou sua carreira em 1981, quando lançou Estrela, Estrela. O trabalho conta com participação de Zizi Possi e Tetê Espíndola, além de arranjos assinados por nomes como Wagner Tiso e Egberto Gismonti. A década de 1980 rendeu ainda A Paixão de V Segundo Ele Próprio (1984), álbum experimental, com influência regionalista e participação de Mercedes Sosa em “Semeadura”. Misturando humor, poesia e teatro, Ramil lançou, nos anos 1990, À Beça e Ramilonga – A Estética do Frio. Nos trabalhos seguintes, alguns ao lado do produtor argentino Pedro Aznar, o músico agregou ainda mais a influência latina à sua obra, o que pode ser notado em Tambong e Longes. Nos mais de 30 anos de carreira, Ramil já lançou dez álbuns de estúdio – em 2013 saiu Foi no Mês Que Vem. O artista tem no currículo quatro livros, e trabalhos com nomes como Lenine, Jorge Drexler, Chico César e Gal Costa.

Sobre Vitor Ramil

Irmão de Kleiton & Kledir, o gaúcho Vitor Ramil iniciou sua carreira em 1981, quando lançou Estrela, Estrela. O trabalho conta com participação de Zizi Possi e Tetê Espíndola, além de arranjos assinados por nomes como Wagner Tiso e Egberto Gismonti. A década de 1980 rendeu ainda A Paixão de V Segundo Ele Próprio (1984), álbum experimental, com influência regionalista e participação de Mercedes Sosa em “Semeadura”. Misturando humor, poesia e teatro, Ramil lançou, nos anos 1990, À Beça e Ramilonga – A Estética do Frio. Nos trabalhos seguintes, alguns ao lado do produtor argentino Pedro Aznar, o músico agregou ainda mais a influência latina à sua obra, o que pode ser notado em Tambong e Longes. Nos mais de 30 anos de carreira, Ramil já lançou dez álbuns de estúdio – em 2013 saiu Foi no Mês Que Vem. O artista tem no currículo quatro livros, e trabalhos com nomes como Lenine, Jorge Drexler, Chico César e Gal Costa.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.