356x237

Artista

Vanessa da Mata

Sobre Vanessa da Mata

Nascida em 1976, na região pantaneira de Mato Grosso, Vanessa Sigiane da Mata cresceu ouvindo sucessos da MPB, cantados pela mãe e a avó. Mudou-se na adolescência para Uberlândia (MG), onde se apresentou em barzinhos. Integrou também um grupo feminino de reggae. Vanessa da Mata começou a se destacar como compositora em 1977, quando uma música de sua autoria em parceria com Chico César, “A Força Que Nunca Seca”, entrou para o repertório do álbum homônimo gravado por Maria Bethânia. Como cantora, passou a ser conhecida com o lançamento do álbum batizado com seu nome, em 2002, que trouxe os hits “Não Me Deixe Só” e “Nossa Canção”, esta presente na trilha da novela Celebridade. Em seguida veio Essa Boneca Tem Manual (2004), com outros sucessos impulsionados por novelas, a exemplo de “Ai, Ai, Ai…” (Belíssima, 2005), “Ainda Bem”(Pé na Jaca, 2007) e a regravação de “Eu Sou Neguinha”, de Caetano Veloso (A Lua Me Disse, 2005). Ao longo de 20 anos de carreira, Vanessa acumulou outros êxitos e ganhou o Grammy Latino por Sim, Melhor Álbum de Pop Contemporâneo. Em 2017, três anos após Segue o Som – também indicado ao Grammy –, a cantora voltou com as inéditas “Caixinha de Música”, “Gente Feliz”, gravada com a banda BaianaSystem, e “É Tudo o Que Eu Quero Ter”, com participação do duo Felguk, dos DJs Lozinsky e Gustavo Rozenthal.

356x237

Vanessa da Mata

Nascida em 1976, na região pantaneira de Mato Grosso, Vanessa Sigiane da Mata cresceu ouvindo sucessos da MPB, cantados pela mãe e a avó. Mudou-se na adolescência para Uberlândia (MG), onde se apresentou em barzinhos. Integrou também um grupo feminino de reggae. Vanessa da Mata começou a se destacar como compositora em 1977, quando uma música de sua autoria em parceria com Chico César, “A Força Que Nunca Seca”, entrou para o repertório do álbum homônimo gravado por Maria Bethânia. Como cantora, passou a ser conhecida com o lançamento do álbum batizado com seu nome, em 2002, que trouxe os hits “Não Me Deixe Só” e “Nossa Canção”, esta presente na trilha da novela Celebridade. Em seguida veio Essa Boneca Tem Manual (2004), com outros sucessos impulsionados por novelas, a exemplo de “Ai, Ai, Ai…” (Belíssima, 2005), “Ainda Bem”(Pé na Jaca, 2007) e a regravação de “Eu Sou Neguinha”, de Caetano Veloso (A Lua Me Disse, 2005). Ao longo de 20 anos de carreira, Vanessa acumulou outros êxitos e ganhou o Grammy Latino por Sim, Melhor Álbum de Pop Contemporâneo. Em 2017, três anos após Segue o Som – também indicado ao Grammy –, a cantora voltou com as inéditas “Caixinha de Música”, “Gente Feliz”, gravada com a banda BaianaSystem, e “É Tudo o Que Eu Quero Ter”, com participação do duo Felguk, dos DJs Lozinsky e Gustavo Rozenthal.

Sobre Vanessa da Mata

Nascida em 1976, na região pantaneira de Mato Grosso, Vanessa Sigiane da Mata cresceu ouvindo sucessos da MPB, cantados pela mãe e a avó. Mudou-se na adolescência para Uberlândia (MG), onde se apresentou em barzinhos. Integrou também um grupo feminino de reggae. Vanessa da Mata começou a se destacar como compositora em 1977, quando uma música de sua autoria em parceria com Chico César, “A Força Que Nunca Seca”, entrou para o repertório do álbum homônimo gravado por Maria Bethânia. Como cantora, passou a ser conhecida com o lançamento do álbum batizado com seu nome, em 2002, que trouxe os hits “Não Me Deixe Só” e “Nossa Canção”, esta presente na trilha da novela Celebridade. Em seguida veio Essa Boneca Tem Manual (2004), com outros sucessos impulsionados por novelas, a exemplo de “Ai, Ai, Ai…” (Belíssima, 2005), “Ainda Bem”(Pé na Jaca, 2007) e a regravação de “Eu Sou Neguinha”, de Caetano Veloso (A Lua Me Disse, 2005). Ao longo de 20 anos de carreira, Vanessa acumulou outros êxitos e ganhou o Grammy Latino por Sim, Melhor Álbum de Pop Contemporâneo. Em 2017, três anos após Segue o Som – também indicado ao Grammy –, a cantora voltou com as inéditas “Caixinha de Música”, “Gente Feliz”, gravada com a banda BaianaSystem, e “É Tudo o Que Eu Quero Ter”, com participação do duo Felguk, dos DJs Lozinsky e Gustavo Rozenthal.

Em destaque em Napster

500x500

O Melhor

Love & Relax

Sobre Vanessa da Mata

Nascida em 1976, na região pantaneira de Mato Grosso, Vanessa Sigiane da Mata cresceu ouvindo sucessos da MPB, cantados pela mãe e a avó. Mudou-se na adolescência para Uberlândia (MG), onde se apresentou em barzinhos. Integrou também um grupo feminino de reggae. Vanessa da Mata começou a se destacar como compositora em 1977, quando uma música de sua autoria em parceria com Chico César, “A Força Que Nunca Seca”, entrou para o repertório do álbum homônimo gravado por Maria Bethânia. Como cantora, passou a ser conhecida com o lançamento do álbum batizado com seu nome, em 2002, que trouxe os hits “Não Me Deixe Só” e “Nossa Canção”, esta presente na trilha da novela Celebridade. Em seguida veio Essa Boneca Tem Manual (2004), com outros sucessos impulsionados por novelas, a exemplo de “Ai, Ai, Ai…” (Belíssima, 2005), “Ainda Bem”(Pé na Jaca, 2007) e a regravação de “Eu Sou Neguinha”, de Caetano Veloso (A Lua Me Disse, 2005). Ao longo de 20 anos de carreira, Vanessa acumulou outros êxitos e ganhou o Grammy Latino por Sim, Melhor Álbum de Pop Contemporâneo. Em 2017, três anos após Segue o Som – também indicado ao Grammy –, a cantora voltou com as inéditas “Caixinha de Música”, “Gente Feliz”, gravada com a banda BaianaSystem, e “É Tudo o Que Eu Quero Ter”, com participação do duo Felguk, dos DJs Lozinsky e Gustavo Rozenthal.

Em destaque em Napster

500x500

O Melhor

Love & Relax
Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.