356x237

Artista

Toquinho

Sobre Toquinho

Toquinho, apelido que Antonio Pecci Filho ganhou quando criança (toquinho de gente), é um dos compositores mais prolixos da MPB. O paulistano nascido em 1946 se apaixonou logo cedo pelo violão e fez dele sua voz a partir de 1964, quando dividiu os holofotes da música brasileira com nomes como Chico Buarque e Elis Regina. Sua parceria com o “poetinha” Vinícius de Moraes, a partir de 1970, tirou o melhor de Toquinho, que com o veterano da bossa nova produziu obras-primas como "Tarde em Itapoã" e "Aquarela". Nos anos 1980, Toquinho e Vinícius se reinventaram ao incorporar às suas composições, músicas para os álbuns infantis A Arca de Noé 1 e 2. Canções como a faixa título, "A Galinha D’Angola" e "O Pato" estão marcadas até hoje nas crianças e adultos daquela década. Toquinho continuou nesta seara musical com Casa de Brinquedos, disco que traz a tocante "O Caderno", na voz de Chico Buarque. Durante toda sua carreira, além de Vinícius de Moraes, Toquinho somou parcerias marcantes com Chico Buarque ("Lua Cheia", "Samba de Orly" e "Samba pra Vinicius"), Paulo Vanzolini ("Boca da Noite", "Noite longa" e "No Fim não se Perde Nada") e Jorge Benjor ("Que Maravilha").

356x237

Toquinho

Toquinho, apelido que Antonio Pecci Filho ganhou quando criança (toquinho de gente), é um dos compositores mais prolixos da MPB. O paulistano nascido em 1946 se apaixonou logo cedo pelo violão e fez dele sua voz a partir de 1964, quando dividiu os holofotes da música brasileira com nomes como Chico Buarque e Elis Regina. Sua parceria com o “poetinha” Vinícius de Moraes, a partir de 1970, tirou o melhor de Toquinho, que com o veterano da bossa nova produziu obras-primas como "Tarde em Itapoã" e "Aquarela". Nos anos 1980, Toquinho e Vinícius se reinventaram ao incorporar às suas composições, músicas para os álbuns infantis A Arca de Noé 1 e 2. Canções como a faixa título, "A Galinha D’Angola" e "O Pato" estão marcadas até hoje nas crianças e adultos daquela década. Toquinho continuou nesta seara musical com Casa de Brinquedos, disco que traz a tocante "O Caderno", na voz de Chico Buarque. Durante toda sua carreira, além de Vinícius de Moraes, Toquinho somou parcerias marcantes com Chico Buarque ("Lua Cheia", "Samba de Orly" e "Samba pra Vinicius"), Paulo Vanzolini ("Boca da Noite", "Noite longa" e "No Fim não se Perde Nada") e Jorge Benjor ("Que Maravilha").

Sobre Toquinho

Toquinho, apelido que Antonio Pecci Filho ganhou quando criança (toquinho de gente), é um dos compositores mais prolixos da MPB. O paulistano nascido em 1946 se apaixonou logo cedo pelo violão e fez dele sua voz a partir de 1964, quando dividiu os holofotes da música brasileira com nomes como Chico Buarque e Elis Regina. Sua parceria com o “poetinha” Vinícius de Moraes, a partir de 1970, tirou o melhor de Toquinho, que com o veterano da bossa nova produziu obras-primas como "Tarde em Itapoã" e "Aquarela". Nos anos 1980, Toquinho e Vinícius se reinventaram ao incorporar às suas composições, músicas para os álbuns infantis A Arca de Noé 1 e 2. Canções como a faixa título, "A Galinha D’Angola" e "O Pato" estão marcadas até hoje nas crianças e adultos daquela década. Toquinho continuou nesta seara musical com Casa de Brinquedos, disco que traz a tocante "O Caderno", na voz de Chico Buarque. Durante toda sua carreira, além de Vinícius de Moraes, Toquinho somou parcerias marcantes com Chico Buarque ("Lua Cheia", "Samba de Orly" e "Samba pra Vinicius"), Paulo Vanzolini ("Boca da Noite", "Noite longa" e "No Fim não se Perde Nada") e Jorge Benjor ("Que Maravilha").

Sobre Toquinho

Toquinho, apelido que Antonio Pecci Filho ganhou quando criança (toquinho de gente), é um dos compositores mais prolixos da MPB. O paulistano nascido em 1946 se apaixonou logo cedo pelo violão e fez dele sua voz a partir de 1964, quando dividiu os holofotes da música brasileira com nomes como Chico Buarque e Elis Regina. Sua parceria com o “poetinha” Vinícius de Moraes, a partir de 1970, tirou o melhor de Toquinho, que com o veterano da bossa nova produziu obras-primas como "Tarde em Itapoã" e "Aquarela". Nos anos 1980, Toquinho e Vinícius se reinventaram ao incorporar às suas composições, músicas para os álbuns infantis A Arca de Noé 1 e 2. Canções como a faixa título, "A Galinha D’Angola" e "O Pato" estão marcadas até hoje nas crianças e adultos daquela década. Toquinho continuou nesta seara musical com Casa de Brinquedos, disco que traz a tocante "O Caderno", na voz de Chico Buarque. Durante toda sua carreira, além de Vinícius de Moraes, Toquinho somou parcerias marcantes com Chico Buarque ("Lua Cheia", "Samba de Orly" e "Samba pra Vinicius"), Paulo Vanzolini ("Boca da Noite", "Noite longa" e "No Fim não se Perde Nada") e Jorge Benjor ("Que Maravilha").

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.