356x237

Artista

Toninho Geraes

Sobre Toninho Geraes

Mineiro de Belo Horizonte, Toninho Geraes, mudou-se em 1979 para o Rio de Janeiro, aos 16 anos. Passou por dificuldades e chegou a morar em uma casa abandonada, até conhecer o compositor do Império Serrano Beto Sem Braço, que o apresentou ao mundo do samba carioca. Toninho tem composições gravadas por nomes como Zeca Pagodinho (“Uma Prova de Amor”, “Pago pra Ver”), Martinho da Vila (“Mulheres”) e Beth Carvalho (“Se a Fila Andar”). Seu lado cantor despontou em 1987, quando lançou Chances Iguais. Retornou em 2001, com Samba de Botequim, no qual regravou seu sucesso “Mulheres”. Passaram-se outros oito anos até que sua voz fosse ouvida de novo, desta vez em Preceito, trabalho em que entoa composições próprias feitas com parceiros como Roque Ferreira, que assina com ele quatro canções, incluindo a faixa-título. Em 2017, com mais de 30 anos de estrada, Toninho Geraes lançou Estação Madureira, com participação de Moacyr Luz em “A Cara do Brasil” e músicos do calibre de Carlinhos Sete Cordas (violão), Kiko Horta (acordeom) e Dirceu Leite (sopros), entre outros.

356x237

Toninho Geraes

Mineiro de Belo Horizonte, Toninho Geraes, mudou-se em 1979 para o Rio de Janeiro, aos 16 anos. Passou por dificuldades e chegou a morar em uma casa abandonada, até conhecer o compositor do Império Serrano Beto Sem Braço, que o apresentou ao mundo do samba carioca. Toninho tem composições gravadas por nomes como Zeca Pagodinho (“Uma Prova de Amor”, “Pago pra Ver”), Martinho da Vila (“Mulheres”) e Beth Carvalho (“Se a Fila Andar”). Seu lado cantor despontou em 1987, quando lançou Chances Iguais. Retornou em 2001, com Samba de Botequim, no qual regravou seu sucesso “Mulheres”. Passaram-se outros oito anos até que sua voz fosse ouvida de novo, desta vez em Preceito, trabalho em que entoa composições próprias feitas com parceiros como Roque Ferreira, que assina com ele quatro canções, incluindo a faixa-título. Em 2017, com mais de 30 anos de estrada, Toninho Geraes lançou Estação Madureira, com participação de Moacyr Luz em “A Cara do Brasil” e músicos do calibre de Carlinhos Sete Cordas (violão), Kiko Horta (acordeom) e Dirceu Leite (sopros), entre outros.

Sobre Toninho Geraes

Mineiro de Belo Horizonte, Toninho Geraes, mudou-se em 1979 para o Rio de Janeiro, aos 16 anos. Passou por dificuldades e chegou a morar em uma casa abandonada, até conhecer o compositor do Império Serrano Beto Sem Braço, que o apresentou ao mundo do samba carioca. Toninho tem composições gravadas por nomes como Zeca Pagodinho (“Uma Prova de Amor”, “Pago pra Ver”), Martinho da Vila (“Mulheres”) e Beth Carvalho (“Se a Fila Andar”). Seu lado cantor despontou em 1987, quando lançou Chances Iguais. Retornou em 2001, com Samba de Botequim, no qual regravou seu sucesso “Mulheres”. Passaram-se outros oito anos até que sua voz fosse ouvida de novo, desta vez em Preceito, trabalho em que entoa composições próprias feitas com parceiros como Roque Ferreira, que assina com ele quatro canções, incluindo a faixa-título. Em 2017, com mais de 30 anos de estrada, Toninho Geraes lançou Estação Madureira, com participação de Moacyr Luz em “A Cara do Brasil” e músicos do calibre de Carlinhos Sete Cordas (violão), Kiko Horta (acordeom) e Dirceu Leite (sopros), entre outros.

Sobre Toninho Geraes

Mineiro de Belo Horizonte, Toninho Geraes, mudou-se em 1979 para o Rio de Janeiro, aos 16 anos. Passou por dificuldades e chegou a morar em uma casa abandonada, até conhecer o compositor do Império Serrano Beto Sem Braço, que o apresentou ao mundo do samba carioca. Toninho tem composições gravadas por nomes como Zeca Pagodinho (“Uma Prova de Amor”, “Pago pra Ver”), Martinho da Vila (“Mulheres”) e Beth Carvalho (“Se a Fila Andar”). Seu lado cantor despontou em 1987, quando lançou Chances Iguais. Retornou em 2001, com Samba de Botequim, no qual regravou seu sucesso “Mulheres”. Passaram-se outros oito anos até que sua voz fosse ouvida de novo, desta vez em Preceito, trabalho em que entoa composições próprias feitas com parceiros como Roque Ferreira, que assina com ele quatro canções, incluindo a faixa-título. Em 2017, com mais de 30 anos de estrada, Toninho Geraes lançou Estação Madureira, com participação de Moacyr Luz em “A Cara do Brasil” e músicos do calibre de Carlinhos Sete Cordas (violão), Kiko Horta (acordeom) e Dirceu Leite (sopros), entre outros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.