356x237

Artista

Tina Turner

Sobre Tina Turner

Uma das vozes mais marcantes da música contemporânea e uma das cantoras mais bem-sucedidas comercialmente, com turnês milionárias e apresentações que entraram para o Guinness Book, como o show para 184 mil pessoas no Maracanã, a hoje budista Tina Turner teve duas encarnações musicais em sua longa carreira (são mais de 50 anos de palco). A primeira, que durou até meados de 1970, foi compartilhada com o marido e parceiro musical Ike Turner. São dos quatro álbuns da dupla sucessos como “Fool in Love” e “Proud Mary”. Após um período de recolhimento se recuperando do fim de um relacionamento marcado pela violência, Tina ressurge em 1974 com Tina Turns the Country On, trazendo gravações de Bob Dylan (“He Belongs to Me”) e James Taylor (“Don’t Talk to Me”), e a artista eletrizando plateias com suas performances vocais vigorosas e absoluto senso rítmico, seja cantando soul, R&B ou rock. Private Dancer (1984) e Break Every Rules (1986), são até hoje os álbuns mais vendidos da cantora, hoje cidadã suíça, que também trabalha como atriz (como em Mad Max, filme que lhe rendeu um Grammy pela performance em “One of the Living”).

356x237

Tina Turner

Uma das vozes mais marcantes da música contemporânea e uma das cantoras mais bem-sucedidas comercialmente, com turnês milionárias e apresentações que entraram para o Guinness Book, como o show para 184 mil pessoas no Maracanã, a hoje budista Tina Turner teve duas encarnações musicais em sua longa carreira (são mais de 50 anos de palco). A primeira, que durou até meados de 1970, foi compartilhada com o marido e parceiro musical Ike Turner. São dos quatro álbuns da dupla sucessos como “Fool in Love” e “Proud Mary”. Após um período de recolhimento se recuperando do fim de um relacionamento marcado pela violência, Tina ressurge em 1974 com Tina Turns the Country On, trazendo gravações de Bob Dylan (“He Belongs to Me”) e James Taylor (“Don’t Talk to Me”), e a artista eletrizando plateias com suas performances vocais vigorosas e absoluto senso rítmico, seja cantando soul, R&B ou rock. Private Dancer (1984) e Break Every Rules (1986), são até hoje os álbuns mais vendidos da cantora, hoje cidadã suíça, que também trabalha como atriz (como em Mad Max, filme que lhe rendeu um Grammy pela performance em “One of the Living”).

Sobre Tina Turner

Uma das vozes mais marcantes da música contemporânea e uma das cantoras mais bem-sucedidas comercialmente, com turnês milionárias e apresentações que entraram para o Guinness Book, como o show para 184 mil pessoas no Maracanã, a hoje budista Tina Turner teve duas encarnações musicais em sua longa carreira (são mais de 50 anos de palco). A primeira, que durou até meados de 1970, foi compartilhada com o marido e parceiro musical Ike Turner. São dos quatro álbuns da dupla sucessos como “Fool in Love” e “Proud Mary”. Após um período de recolhimento se recuperando do fim de um relacionamento marcado pela violência, Tina ressurge em 1974 com Tina Turns the Country On, trazendo gravações de Bob Dylan (“He Belongs to Me”) e James Taylor (“Don’t Talk to Me”), e a artista eletrizando plateias com suas performances vocais vigorosas e absoluto senso rítmico, seja cantando soul, R&B ou rock. Private Dancer (1984) e Break Every Rules (1986), são até hoje os álbuns mais vendidos da cantora, hoje cidadã suíça, que também trabalha como atriz (como em Mad Max, filme que lhe rendeu um Grammy pela performance em “One of the Living”).

Sobre Tina Turner

Uma das vozes mais marcantes da música contemporânea e uma das cantoras mais bem-sucedidas comercialmente, com turnês milionárias e apresentações que entraram para o Guinness Book, como o show para 184 mil pessoas no Maracanã, a hoje budista Tina Turner teve duas encarnações musicais em sua longa carreira (são mais de 50 anos de palco). A primeira, que durou até meados de 1970, foi compartilhada com o marido e parceiro musical Ike Turner. São dos quatro álbuns da dupla sucessos como “Fool in Love” e “Proud Mary”. Após um período de recolhimento se recuperando do fim de um relacionamento marcado pela violência, Tina ressurge em 1974 com Tina Turns the Country On, trazendo gravações de Bob Dylan (“He Belongs to Me”) e James Taylor (“Don’t Talk to Me”), e a artista eletrizando plateias com suas performances vocais vigorosas e absoluto senso rítmico, seja cantando soul, R&B ou rock. Private Dancer (1984) e Break Every Rules (1986), são até hoje os álbuns mais vendidos da cantora, hoje cidadã suíça, que também trabalha como atriz (como em Mad Max, filme que lhe rendeu um Grammy pela performance em “One of the Living”).

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.