356x237

Artista

Gustavo Santaolalla

Sobre Gustavo Santaolalla

Guitarrista e produtor musical, integrou em 1967 a banda de rock Argentina Arco Íris, liderada por Dana Winnycka, uma praticante de ioga que trazia curiosos elementos místicos às composições e apresentações do grupo. Apaixonado, Gustavo dedicou a ela seu primeiro sucesso, “Blues de Dana”, canção ganhadora do Festival de Mar del Plata de 1970, além de “Quién Es Esa Chica?”. Nos quatro anos seguintes, o Aro Íris lançaria sete álbuns de rock melódico, até o grupo se dissolver. Radicando-se na Califórnia, o artista passa a se envolver na criação de trilhas sonoras de filmes e também com a produção de outros artistas. Em 1982, Santaolalla lança seu primeiro trabalho solo, batizado com seu sobrenome, e considerado renovador do rock argentino. Duas de suas trilhas são premiadas com Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção: Brokeback Mountain, e Babel. Santaolalla é autor ainda da trilha de Diários de Motocicleta (Prêmio Bafta em 2004) e da trilha do game The Last of Us Como produtor participou de trabalhos de destaque de artistas como Café Tacvba, Los Prisioneros, Jorge Drexler, Julieta Venegas, Juanes e vários outros. Santaolalla participa também do Bajofondo, coletivo de artistas argentinos e uruguaios.

356x237

Gustavo Santaolalla

Guitarrista e produtor musical, integrou em 1967 a banda de rock Argentina Arco Íris, liderada por Dana Winnycka, uma praticante de ioga que trazia curiosos elementos místicos às composições e apresentações do grupo. Apaixonado, Gustavo dedicou a ela seu primeiro sucesso, “Blues de Dana”, canção ganhadora do Festival de Mar del Plata de 1970, além de “Quién Es Esa Chica?”. Nos quatro anos seguintes, o Aro Íris lançaria sete álbuns de rock melódico, até o grupo se dissolver. Radicando-se na Califórnia, o artista passa a se envolver na criação de trilhas sonoras de filmes e também com a produção de outros artistas. Em 1982, Santaolalla lança seu primeiro trabalho solo, batizado com seu sobrenome, e considerado renovador do rock argentino. Duas de suas trilhas são premiadas com Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção: Brokeback Mountain, e Babel. Santaolalla é autor ainda da trilha de Diários de Motocicleta (Prêmio Bafta em 2004) e da trilha do game The Last of Us Como produtor participou de trabalhos de destaque de artistas como Café Tacvba, Los Prisioneros, Jorge Drexler, Julieta Venegas, Juanes e vários outros. Santaolalla participa também do Bajofondo, coletivo de artistas argentinos e uruguaios.

Sobre Gustavo Santaolalla

Guitarrista e produtor musical, integrou em 1967 a banda de rock Argentina Arco Íris, liderada por Dana Winnycka, uma praticante de ioga que trazia curiosos elementos místicos às composições e apresentações do grupo. Apaixonado, Gustavo dedicou a ela seu primeiro sucesso, “Blues de Dana”, canção ganhadora do Festival de Mar del Plata de 1970, além de “Quién Es Esa Chica?”. Nos quatro anos seguintes, o Aro Íris lançaria sete álbuns de rock melódico, até o grupo se dissolver. Radicando-se na Califórnia, o artista passa a se envolver na criação de trilhas sonoras de filmes e também com a produção de outros artistas. Em 1982, Santaolalla lança seu primeiro trabalho solo, batizado com seu sobrenome, e considerado renovador do rock argentino. Duas de suas trilhas são premiadas com Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção: Brokeback Mountain, e Babel. Santaolalla é autor ainda da trilha de Diários de Motocicleta (Prêmio Bafta em 2004) e da trilha do game The Last of Us Como produtor participou de trabalhos de destaque de artistas como Café Tacvba, Los Prisioneros, Jorge Drexler, Julieta Venegas, Juanes e vários outros. Santaolalla participa também do Bajofondo, coletivo de artistas argentinos e uruguaios.

Sobre Gustavo Santaolalla

Guitarrista e produtor musical, integrou em 1967 a banda de rock Argentina Arco Íris, liderada por Dana Winnycka, uma praticante de ioga que trazia curiosos elementos místicos às composições e apresentações do grupo. Apaixonado, Gustavo dedicou a ela seu primeiro sucesso, “Blues de Dana”, canção ganhadora do Festival de Mar del Plata de 1970, além de “Quién Es Esa Chica?”. Nos quatro anos seguintes, o Aro Íris lançaria sete álbuns de rock melódico, até o grupo se dissolver. Radicando-se na Califórnia, o artista passa a se envolver na criação de trilhas sonoras de filmes e também com a produção de outros artistas. Em 1982, Santaolalla lança seu primeiro trabalho solo, batizado com seu sobrenome, e considerado renovador do rock argentino. Duas de suas trilhas são premiadas com Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção: Brokeback Mountain, e Babel. Santaolalla é autor ainda da trilha de Diários de Motocicleta (Prêmio Bafta em 2004) e da trilha do game The Last of Us Como produtor participou de trabalhos de destaque de artistas como Café Tacvba, Los Prisioneros, Jorge Drexler, Julieta Venegas, Juanes e vários outros. Santaolalla participa também do Bajofondo, coletivo de artistas argentinos e uruguaios.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.