356x237

Artista

Fela Kuti

Sobre Fela Kuti

Cantor, compositor, saxofonista e tecladista, o nigeriano Fela Kuti (1938-1997) foi um dos artistas mais importantes do continente africano. Em vez de seguir carreira na medicina, como os pais, ele foi abduzido pela música e, após conhecer os talentos que brilhavam nos Estados Unidos e Europa nas décadas de 1950 e 1960, criou o afrobeat. Jazz, funk e ritmos africanos estão na gênese do estilo, que seguiu inspirando artistas após a morte de Kuti. Suas composições podiam durar até mais de 20 minutos, sempre marcadas por longos solos e letras de protesto. “Zombie”, “Water No Get Enemy” e outros pontos altos de sua produção setentista nasceram com o auxílio dos músicos da Afrika ’70, sua banda mais famosa. Extravagante e transgressor, Fela Kuti confrontava o regime militar que controlava a Nigéria por meio de suas músicas e atitudes. Em 1978, por exemplo, não contente em fundar a República de Kalakuta – comunidade declarada por ele como território independente do país –, se casou com 27 mulheres ao mesmo tempo, muitas delas suas dançarinas. Sua vida marcada por prisões, exílio – e muita música – teve fim por complicações do vírus da aids.

356x237

Fela Kuti

Cantor, compositor, saxofonista e tecladista, o nigeriano Fela Kuti (1938-1997) foi um dos artistas mais importantes do continente africano. Em vez de seguir carreira na medicina, como os pais, ele foi abduzido pela música e, após conhecer os talentos que brilhavam nos Estados Unidos e Europa nas décadas de 1950 e 1960, criou o afrobeat. Jazz, funk e ritmos africanos estão na gênese do estilo, que seguiu inspirando artistas após a morte de Kuti. Suas composições podiam durar até mais de 20 minutos, sempre marcadas por longos solos e letras de protesto. “Zombie”, “Water No Get Enemy” e outros pontos altos de sua produção setentista nasceram com o auxílio dos músicos da Afrika ’70, sua banda mais famosa. Extravagante e transgressor, Fela Kuti confrontava o regime militar que controlava a Nigéria por meio de suas músicas e atitudes. Em 1978, por exemplo, não contente em fundar a República de Kalakuta – comunidade declarada por ele como território independente do país –, se casou com 27 mulheres ao mesmo tempo, muitas delas suas dançarinas. Sua vida marcada por prisões, exílio – e muita música – teve fim por complicações do vírus da aids.

Sobre Fela Kuti

Cantor, compositor, saxofonista e tecladista, o nigeriano Fela Kuti (1938-1997) foi um dos artistas mais importantes do continente africano. Em vez de seguir carreira na medicina, como os pais, ele foi abduzido pela música e, após conhecer os talentos que brilhavam nos Estados Unidos e Europa nas décadas de 1950 e 1960, criou o afrobeat. Jazz, funk e ritmos africanos estão na gênese do estilo, que seguiu inspirando artistas após a morte de Kuti. Suas composições podiam durar até mais de 20 minutos, sempre marcadas por longos solos e letras de protesto. “Zombie”, “Water No Get Enemy” e outros pontos altos de sua produção setentista nasceram com o auxílio dos músicos da Afrika ’70, sua banda mais famosa. Extravagante e transgressor, Fela Kuti confrontava o regime militar que controlava a Nigéria por meio de suas músicas e atitudes. Em 1978, por exemplo, não contente em fundar a República de Kalakuta – comunidade declarada por ele como território independente do país –, se casou com 27 mulheres ao mesmo tempo, muitas delas suas dançarinas. Sua vida marcada por prisões, exílio – e muita música – teve fim por complicações do vírus da aids.

Sobre Fela Kuti

Cantor, compositor, saxofonista e tecladista, o nigeriano Fela Kuti (1938-1997) foi um dos artistas mais importantes do continente africano. Em vez de seguir carreira na medicina, como os pais, ele foi abduzido pela música e, após conhecer os talentos que brilhavam nos Estados Unidos e Europa nas décadas de 1950 e 1960, criou o afrobeat. Jazz, funk e ritmos africanos estão na gênese do estilo, que seguiu inspirando artistas após a morte de Kuti. Suas composições podiam durar até mais de 20 minutos, sempre marcadas por longos solos e letras de protesto. “Zombie”, “Water No Get Enemy” e outros pontos altos de sua produção setentista nasceram com o auxílio dos músicos da Afrika ’70, sua banda mais famosa. Extravagante e transgressor, Fela Kuti confrontava o regime militar que controlava a Nigéria por meio de suas músicas e atitudes. Em 1978, por exemplo, não contente em fundar a República de Kalakuta – comunidade declarada por ele como território independente do país –, se casou com 27 mulheres ao mesmo tempo, muitas delas suas dançarinas. Sua vida marcada por prisões, exílio – e muita música – teve fim por complicações do vírus da aids.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.