356x237

Artista

Dona Ivone Lara

Sobre Dona Ivone Lara

Uma das primeiras mulheres a abrir espaço no mundo do samba, Yvonne da Silva Lara, reverenciada como Dona Ivone Lara, teve sua longeva carreira encerrada em abril de 2018, quando morreu, aos 96 anos de idade. Carioca nascida no bairro de Botafogo, durante muitos anos ela conduziu sua vida artística paralelamente à profissão de enfermeira, pela qual se aposentou em 1977. Filha de pai mecânico de bicicleta e violonista e mãe costureira que cantava em ranchos carnavalescos do Rio de Janeiro, na infância aprendeu a tocar cavaquinho e teve aulas de canto. Dona Ivone Lara lançou seus primeiros álbuns na década de 1970, a exemplo de Samba Minha Verdade, Samba Minha Raiz, de 1974. Foi madrinha da ala de compositores da Escola de Samba Prazer da Serrinha, que em 1947 daria origem ao Império Serrano, escola de Madureira na qual foi a primeira mulher a assinar um samba enredo – "Os Cinco Bailes da História do Rio”, de 1965. Levou sua música a outros países, apresentando-se em eventos como Hot Brass, na França, em 1996, e Festival de Montreux, na Suíça, em 2000. Em 2004, gravou Sempre a Cantar, registro lançado também na Europa e nos Estados Unidos. Com músicas de sua autoria interpretadas por nomes como Clara Nunes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Beth Carvalho e Marisa Monte, entre os maiores sucessos de Dona Ivone Lara estão “Sonho Meu”, “Acreditar” e “Alguém Me Avisou”. No Carnaval de 2012, a sambista foi homenageada pela Império Serrano, com o tema "Dona Ivone Lara: o enredo do meu samba". E foi na quadra da escola que a Grande Dama do Samba recebeu homenagens após sua morte, quando integrantes fizeram uma roda de samba e, em forma de despedida, entoaram suas músicas mais conhecidas.

356x237

Dona Ivone Lara

Uma das primeiras mulheres a abrir espaço no mundo do samba, Yvonne da Silva Lara, reverenciada como Dona Ivone Lara, teve sua longeva carreira encerrada em abril de 2018, quando morreu, aos 96 anos de idade. Carioca nascida no bairro de Botafogo, durante muitos anos ela conduziu sua vida artística paralelamente à profissão de enfermeira, pela qual se aposentou em 1977. Filha de pai mecânico de bicicleta e violonista e mãe costureira que cantava em ranchos carnavalescos do Rio de Janeiro, na infância aprendeu a tocar cavaquinho e teve aulas de canto. Dona Ivone Lara lançou seus primeiros álbuns na década de 1970, a exemplo de Samba Minha Verdade, Samba Minha Raiz, de 1974. Foi madrinha da ala de compositores da Escola de Samba Prazer da Serrinha, que em 1947 daria origem ao Império Serrano, escola de Madureira na qual foi a primeira mulher a assinar um samba enredo – "Os Cinco Bailes da História do Rio”, de 1965. Levou sua música a outros países, apresentando-se em eventos como Hot Brass, na França, em 1996, e Festival de Montreux, na Suíça, em 2000. Em 2004, gravou Sempre a Cantar, registro lançado também na Europa e nos Estados Unidos. Com músicas de sua autoria interpretadas por nomes como Clara Nunes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Beth Carvalho e Marisa Monte, entre os maiores sucessos de Dona Ivone Lara estão “Sonho Meu”, “Acreditar” e “Alguém Me Avisou”. No Carnaval de 2012, a sambista foi homenageada pela Império Serrano, com o tema "Dona Ivone Lara: o enredo do meu samba". E foi na quadra da escola que a Grande Dama do Samba recebeu homenagens após sua morte, quando integrantes fizeram uma roda de samba e, em forma de despedida, entoaram suas músicas mais conhecidas.

Sobre Dona Ivone Lara

Uma das primeiras mulheres a abrir espaço no mundo do samba, Yvonne da Silva Lara, reverenciada como Dona Ivone Lara, teve sua longeva carreira encerrada em abril de 2018, quando morreu, aos 96 anos de idade. Carioca nascida no bairro de Botafogo, durante muitos anos ela conduziu sua vida artística paralelamente à profissão de enfermeira, pela qual se aposentou em 1977. Filha de pai mecânico de bicicleta e violonista e mãe costureira que cantava em ranchos carnavalescos do Rio de Janeiro, na infância aprendeu a tocar cavaquinho e teve aulas de canto. Dona Ivone Lara lançou seus primeiros álbuns na década de 1970, a exemplo de Samba Minha Verdade, Samba Minha Raiz, de 1974. Foi madrinha da ala de compositores da Escola de Samba Prazer da Serrinha, que em 1947 daria origem ao Império Serrano, escola de Madureira na qual foi a primeira mulher a assinar um samba enredo – "Os Cinco Bailes da História do Rio”, de 1965. Levou sua música a outros países, apresentando-se em eventos como Hot Brass, na França, em 1996, e Festival de Montreux, na Suíça, em 2000. Em 2004, gravou Sempre a Cantar, registro lançado também na Europa e nos Estados Unidos. Com músicas de sua autoria interpretadas por nomes como Clara Nunes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Beth Carvalho e Marisa Monte, entre os maiores sucessos de Dona Ivone Lara estão “Sonho Meu”, “Acreditar” e “Alguém Me Avisou”. No Carnaval de 2012, a sambista foi homenageada pela Império Serrano, com o tema "Dona Ivone Lara: o enredo do meu samba". E foi na quadra da escola que a Grande Dama do Samba recebeu homenagens após sua morte, quando integrantes fizeram uma roda de samba e, em forma de despedida, entoaram suas músicas mais conhecidas.

Sobre Dona Ivone Lara

Uma das primeiras mulheres a abrir espaço no mundo do samba, Yvonne da Silva Lara, reverenciada como Dona Ivone Lara, teve sua longeva carreira encerrada em abril de 2018, quando morreu, aos 96 anos de idade. Carioca nascida no bairro de Botafogo, durante muitos anos ela conduziu sua vida artística paralelamente à profissão de enfermeira, pela qual se aposentou em 1977. Filha de pai mecânico de bicicleta e violonista e mãe costureira que cantava em ranchos carnavalescos do Rio de Janeiro, na infância aprendeu a tocar cavaquinho e teve aulas de canto. Dona Ivone Lara lançou seus primeiros álbuns na década de 1970, a exemplo de Samba Minha Verdade, Samba Minha Raiz, de 1974. Foi madrinha da ala de compositores da Escola de Samba Prazer da Serrinha, que em 1947 daria origem ao Império Serrano, escola de Madureira na qual foi a primeira mulher a assinar um samba enredo – "Os Cinco Bailes da História do Rio”, de 1965. Levou sua música a outros países, apresentando-se em eventos como Hot Brass, na França, em 1996, e Festival de Montreux, na Suíça, em 2000. Em 2004, gravou Sempre a Cantar, registro lançado também na Europa e nos Estados Unidos. Com músicas de sua autoria interpretadas por nomes como Clara Nunes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Beth Carvalho e Marisa Monte, entre os maiores sucessos de Dona Ivone Lara estão “Sonho Meu”, “Acreditar” e “Alguém Me Avisou”. No Carnaval de 2012, a sambista foi homenageada pela Império Serrano, com o tema "Dona Ivone Lara: o enredo do meu samba". E foi na quadra da escola que a Grande Dama do Samba recebeu homenagens após sua morte, quando integrantes fizeram uma roda de samba e, em forma de despedida, entoaram suas músicas mais conhecidas.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.