356x237

Artista

Diego El Cigala

Sobre Diego El Cigala

De família cigana, Diego Ramón Jiménez Salazar, nascido em 1968 em Madri, começou a tocar violão muito cedo, sempre apaixonado pelo flamenco e pelos sons espanhóis de violão. Aos 14 anos, já se apresentava em casas de flamenco. A habilidade fez com que ele acompanhasse grandes nomes da dança, como Mario Maya, Manuela Carrasco, Cristóbal Reyes, Carmen Cortés e Joaquín Cortés. Até que, em 1998, alçou voo solo, gravando o álbum Undebel. O sucesso internacional veio com o quarto trabalho, Lagrimas Negras, de 2003, com participação do veterano pianista cubano Bebo Valdés e produção de Fernando Trueba. A partir de 2008, o artista começou a trabalhar com outros ritmos, como os caribenhos e tango, ganhando em 2013 o Grammy Latino de melhor álbum de tango por Romance de la Luna Tucumana. Diego El Cigala – ou Diego Lagostim, apelido dado por causa de sua magreza – vive atualmente na República Dominicana.

356x237

Diego El Cigala

De família cigana, Diego Ramón Jiménez Salazar, nascido em 1968 em Madri, começou a tocar violão muito cedo, sempre apaixonado pelo flamenco e pelos sons espanhóis de violão. Aos 14 anos, já se apresentava em casas de flamenco. A habilidade fez com que ele acompanhasse grandes nomes da dança, como Mario Maya, Manuela Carrasco, Cristóbal Reyes, Carmen Cortés e Joaquín Cortés. Até que, em 1998, alçou voo solo, gravando o álbum Undebel. O sucesso internacional veio com o quarto trabalho, Lagrimas Negras, de 2003, com participação do veterano pianista cubano Bebo Valdés e produção de Fernando Trueba. A partir de 2008, o artista começou a trabalhar com outros ritmos, como os caribenhos e tango, ganhando em 2013 o Grammy Latino de melhor álbum de tango por Romance de la Luna Tucumana. Diego El Cigala – ou Diego Lagostim, apelido dado por causa de sua magreza – vive atualmente na República Dominicana.

Sobre Diego El Cigala

De família cigana, Diego Ramón Jiménez Salazar, nascido em 1968 em Madri, começou a tocar violão muito cedo, sempre apaixonado pelo flamenco e pelos sons espanhóis de violão. Aos 14 anos, já se apresentava em casas de flamenco. A habilidade fez com que ele acompanhasse grandes nomes da dança, como Mario Maya, Manuela Carrasco, Cristóbal Reyes, Carmen Cortés e Joaquín Cortés. Até que, em 1998, alçou voo solo, gravando o álbum Undebel. O sucesso internacional veio com o quarto trabalho, Lagrimas Negras, de 2003, com participação do veterano pianista cubano Bebo Valdés e produção de Fernando Trueba. A partir de 2008, o artista começou a trabalhar com outros ritmos, como os caribenhos e tango, ganhando em 2013 o Grammy Latino de melhor álbum de tango por Romance de la Luna Tucumana. Diego El Cigala – ou Diego Lagostim, apelido dado por causa de sua magreza – vive atualmente na República Dominicana.

Sobre Diego El Cigala

De família cigana, Diego Ramón Jiménez Salazar, nascido em 1968 em Madri, começou a tocar violão muito cedo, sempre apaixonado pelo flamenco e pelos sons espanhóis de violão. Aos 14 anos, já se apresentava em casas de flamenco. A habilidade fez com que ele acompanhasse grandes nomes da dança, como Mario Maya, Manuela Carrasco, Cristóbal Reyes, Carmen Cortés e Joaquín Cortés. Até que, em 1998, alçou voo solo, gravando o álbum Undebel. O sucesso internacional veio com o quarto trabalho, Lagrimas Negras, de 2003, com participação do veterano pianista cubano Bebo Valdés e produção de Fernando Trueba. A partir de 2008, o artista começou a trabalhar com outros ritmos, como os caribenhos e tango, ganhando em 2013 o Grammy Latino de melhor álbum de tango por Romance de la Luna Tucumana. Diego El Cigala – ou Diego Lagostim, apelido dado por causa de sua magreza – vive atualmente na República Dominicana.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.