356x237

Artista

Badi Assad

Sobre Badi Assad

Influenciada pelos irmãos Sérgio e Odair, do Duo Assad, Mariângela Assad Simão começou a tocar violão aos 14 anos e, em pouco tempo, já dominava o instrumento. Depois de ainda jovem receber prêmios no Brasil, Badi gravou seu primeiro álbum, Dança dos Tons (1989), lançado apenas em território nacional. Em 1993, sua carreira deslanchou ao assinar contrato com a Chesky Records. Com o talento como instrumentista e a precisão vocal – além da emulação do som de percussão com a boca, ao estilo de Bobby McFerrin –, a cada lançamento seu prestígio ao redor do mundo aumentava. Em 1995, Rhythms foi eleito o Melhor Álbum Clássico do Ano pela revista Guitar Player. Outro destaque de sua discografia é Chameleon (1998), que teve ampla colaboração de Jeff Scott Young, ex-integrante do Megadeth, e aumentou ainda mais o reconhecimento da musicista na Europa. Wonderland (2006) traz releituras de canções de nomes como Eurythmics, Tori Amos, Lenine e Cartola. Em 2012, Badi colocou no mercado Amor e Outras Manias Crônicas, seu primeiro álbum independente e totalmente autoral. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, a brasileira e sua técnica angariaram milhares de seguidores mundo afora.

356x237

Badi Assad

Influenciada pelos irmãos Sérgio e Odair, do Duo Assad, Mariângela Assad Simão começou a tocar violão aos 14 anos e, em pouco tempo, já dominava o instrumento. Depois de ainda jovem receber prêmios no Brasil, Badi gravou seu primeiro álbum, Dança dos Tons (1989), lançado apenas em território nacional. Em 1993, sua carreira deslanchou ao assinar contrato com a Chesky Records. Com o talento como instrumentista e a precisão vocal – além da emulação do som de percussão com a boca, ao estilo de Bobby McFerrin –, a cada lançamento seu prestígio ao redor do mundo aumentava. Em 1995, Rhythms foi eleito o Melhor Álbum Clássico do Ano pela revista Guitar Player. Outro destaque de sua discografia é Chameleon (1998), que teve ampla colaboração de Jeff Scott Young, ex-integrante do Megadeth, e aumentou ainda mais o reconhecimento da musicista na Europa. Wonderland (2006) traz releituras de canções de nomes como Eurythmics, Tori Amos, Lenine e Cartola. Em 2012, Badi colocou no mercado Amor e Outras Manias Crônicas, seu primeiro álbum independente e totalmente autoral. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, a brasileira e sua técnica angariaram milhares de seguidores mundo afora.

Sobre Badi Assad

Influenciada pelos irmãos Sérgio e Odair, do Duo Assad, Mariângela Assad Simão começou a tocar violão aos 14 anos e, em pouco tempo, já dominava o instrumento. Depois de ainda jovem receber prêmios no Brasil, Badi gravou seu primeiro álbum, Dança dos Tons (1989), lançado apenas em território nacional. Em 1993, sua carreira deslanchou ao assinar contrato com a Chesky Records. Com o talento como instrumentista e a precisão vocal – além da emulação do som de percussão com a boca, ao estilo de Bobby McFerrin –, a cada lançamento seu prestígio ao redor do mundo aumentava. Em 1995, Rhythms foi eleito o Melhor Álbum Clássico do Ano pela revista Guitar Player. Outro destaque de sua discografia é Chameleon (1998), que teve ampla colaboração de Jeff Scott Young, ex-integrante do Megadeth, e aumentou ainda mais o reconhecimento da musicista na Europa. Wonderland (2006) traz releituras de canções de nomes como Eurythmics, Tori Amos, Lenine e Cartola. Em 2012, Badi colocou no mercado Amor e Outras Manias Crônicas, seu primeiro álbum independente e totalmente autoral. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, a brasileira e sua técnica angariaram milhares de seguidores mundo afora.

Sobre Badi Assad

Influenciada pelos irmãos Sérgio e Odair, do Duo Assad, Mariângela Assad Simão começou a tocar violão aos 14 anos e, em pouco tempo, já dominava o instrumento. Depois de ainda jovem receber prêmios no Brasil, Badi gravou seu primeiro álbum, Dança dos Tons (1989), lançado apenas em território nacional. Em 1993, sua carreira deslanchou ao assinar contrato com a Chesky Records. Com o talento como instrumentista e a precisão vocal – além da emulação do som de percussão com a boca, ao estilo de Bobby McFerrin –, a cada lançamento seu prestígio ao redor do mundo aumentava. Em 1995, Rhythms foi eleito o Melhor Álbum Clássico do Ano pela revista Guitar Player. Outro destaque de sua discografia é Chameleon (1998), que teve ampla colaboração de Jeff Scott Young, ex-integrante do Megadeth, e aumentou ainda mais o reconhecimento da musicista na Europa. Wonderland (2006) traz releituras de canções de nomes como Eurythmics, Tori Amos, Lenine e Cartola. Em 2012, Badi colocou no mercado Amor e Outras Manias Crônicas, seu primeiro álbum independente e totalmente autoral. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, a brasileira e sua técnica angariaram milhares de seguidores mundo afora.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.

Músicas ilimitadas em qualquer lugar. Milhões de músicas em todos os gêneros.

Disponível em iOS, Android, Windows e Web.